terça-feira, 24 de novembro de 2009

Fisiologia da audição

Audição

O ouvido, que é o órgão captador da audição, divide-se em três regiões :

Ouvido externo: formado pelo pavilhão da orelha e pelo canal auditivo externo (meato acústico). Mostra-se fechado internamente pelo tímpano.

Ouvido médio: com um formato de caixa, contendo em seu interior três ossículos (martelo, bigorna e estribo) responsáveis pela condução das vibrações sonoras, levando-as de um meio de menor impedância (ar) para um meio de maior impedância (líquido). Comunica-se com o ouvido interno pelas janelas do vestíbulo e da cóclea e com a faringe por intemédio da trompa de Eustáquio ou tuba auditiva.

Ouvido interno: também chamado de labirinto; abrange o labirinto membranoso (contento endolinfa) e o ósseo (ou cóclea), contendo perilinfa e suspendendo o labirinto membranoso. O labirinto membranoso possui três partes: o vestíbulo, a cóclea e os canais semicirculares. Nos canais semicirculares encontram-se estruturas que permitem a percepção da posição do corpo (noção de equilíbrio), juntamente com o vestíbulo (que compreende o sáculo e o utrículo). Na cóclea está presente uma estrutura que permite a percepção dos sons, chamada de órgão de Corti.

LINGUAGEM DE LIBRAS



Entre os muitos instrumentos usados para comunicação não oral, figura a linguagem dos sinais, criada por um monge beneditino francês, morador de um mosteiro onde imperava a lei do silêncio. Adotada há mais de cem anos, no Brasil é chamada de Libras. A ilustração acima mostra apenas uma pequena parte desta linguagem - o alfabeto, mas há muitos outros elementos, sinais que significam conceitos, frases inteiras, há uma estrutura lingüística própria; há até o Dicionário Trilingüe da Libras


NERVO VESTIBULO COCLEAR




O nervo vestíbulo-coclear,também conhecido como nervo auditivo ou nervo acústico, constitui o oitavo (VIII) par de nervos cranianos.
É puramente sensitivo, constituído de duas porções: a porção coclear está relacionada a fenômenos da audição e a porção vestibular com o equilíbrio.
Este nervo, junto com as células sensoriais do ouvido interno transmite informações para o cérebro. Ele consiste do nervo coclear, que carrega informação auditiva, e o nervo vestibular, que carrega informações sobre o equilíbrio. Ele sai da medula oblonga e entra no interior do crânio através do meato acústico interno no osso temporal, junto com o nervo facial.




ALCOLISMO:EFEITOS NO APARELHO VESTIBULO-COCLEAR

O aparelho vestibular é um órgão com dupla função,
sendo a cóclea responsável pela audição e o labirinto
pelo equilíbrio. Alterações em alguns destes sentidos
podem causar grandes dificuldades para o ser humano,
como por exemplo, reduzir a capacidade de reagir a sons
ambientais, diminuir a comunicação efetiva com o meio,
alterar o equilíbrio corporal e gerar outros problemas para
os indivíduos afetados.
O sintoma principal de um distúrbio do equilíbrio é
a tontura, que pode ser ou não de origem vestibular, o que
só é possível elucidar por meio da realização e interpretação
do exame otoneurológico. As alterações da audição
(disacusias) e os ruídos (tinnitus) nos ouvidos podem estar
associados com os problemas vertiginosos.
Diversas drogas ototóxicas causam efeitos nocivos
ao ser humano, como zumbido, várias formas de deficiência
auditiva e vertigem. Dentre os principais agentes
considerados ototóxicos, encontra-se o álcool.
Os sinais e sintomas que freqüentemente são encontrados
no alcoolismo são anorexia, instabilidade e
tontura, náuseas, vômitos, emagrecimento, febre e dores
abdominais, entre outros.
Para alguns autores o alcoolismo causa envelhecimento
prematuro das funções neuropsicológicas e possivelmente
do cérebr.
Sabe-se que o uso de drogas, tanto com finalidade
terapêutica, como exposição a substâncias químicas e
tóxicas podem causar perda parcial ou total da função
vestibular e/ou coclear. Dentre estas substâncias exógenas
está o álcool.


OTITE MÉDIA AGUDA - INFLAMAÇÃO NO OUVIDO

A otite média aguda é uma infecção no ouvido médio causada por um germe (bactéria). É muito comum nas crianças. O ouvido é dividido em 3 partes: externo, médio e interno. O ouvido médio é uma cavidade com ar localizada entre o tímpano e o ouvido interno. A tuba auditiva (trompa de Eustáquio), um canal de comunicação entre ouvido médio e nariz, tem a função de ventilação e limpeza.
Como se adquire?

A infecção no ouvido médio se faz através da tuba auditiva quando está com sua função prejudicada por inflamações ou obstruções, como acontece, por exemplo, nas alergias do nariz ou nas infecções da faringe (garganta). O germe (bactéria) presente na garganta migra pela tuba auditiva até o ouvido médio onde se multiplica nas secreções aí acumuladas, resultando uma otite média aguda. Também o vírus pode causar otite média. O risco de ocorrer uma infecção é maior se a tuba auditiva é pequena ou se não funciona de maneira eficiente, como acontece nas crianças pequenas. Também a criança que mama no peito ou toma mamadeira na posição deitada é mais propensa às otites porque a posição facilita a entrada de alimentos, sucos digestivos e germes na tuba auditiva.

A infecção do ouvido médio ocorre, na maioria das vezes, após gripe. É freqüente, também, através do contato com outras crianças. Surge também muitas vezes, durante as doenças infecciosas da infância, tais como sarampo.

Quais são os sintomas?

Os principais sintomas são dor e tambem diminuição da audição. A dor costuma ser severa. Outros sintomas podem estar presentes como febre, inquietude, perda de apetite e secreção no ouvido se houver ruptura timpânica (perfuração do ouvido); vômitos e diarréia podem ocorrer nas crianças pequenas.

Como se faz o tratamento?

O tratamento é feito com o uso adequado de antibióticos e analgésicos. Terminado o tratamento o médico verifica se o líquido da infecção que se acumulou atrás do tímpano está sendo reabsorvido e se a audição está voltando ao normal. A presença de líquido no ouvido médio interfere no mecanismo de condução do som, causando surdez. Caso o líquido e perda auditiva persistam por mais de três meses, pode ser necessário um tratamento cirúrgico que consiste em uma pequena abertura no tímpano e retirada do líquido acumulado no ouvido médio.

APARELHOS AUDITIVOS

­Para milhões de pessoas com perda auditiva em todo o mundo, a vida pode ser uma série de oportunidades perdidas. Amigos e membros da família geralmente se cansam de gritar com essas pessoas e simplesmente desistem de se com­unicar com elas. Isso pode tornar o mundo um local muito solitário para o deficiente auditivo. Os aparelhos auditivos (pequenos dispositivos eletrônicos que amplificam o som) podem ajudar a restaurar muitos dos sons que as pessoas com deficiência auditiva estão perdendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário